Uncategorized

D’GRAUS – BAR DO LAURI

 

Antes do D’Graus, pra quem é um pouco mais antigo, Lauri e família tocavam o ‘Cantinho do Sorvete’, que ficava anexo ao Posto de Combustível na frente do antigo Clube do Comércio, hoje Unipar Campus II. Sem dúvida D’Graus foi o bar mais Rock N’ Roll de Toledo. Tínhamos até uma trilha sonora rocker pro Lauri, música do Mutantes. (Sérgio)

Nossa segunda casa…Queria achar a gente era só ir no Degrau’s…Também é meu lugar favorito, onde vivi parte da minha adolescência e juventude…Lauri 100%. (Nicole)

O lugar mais massa que já conheci em Toledo. Meus melhores momentos vivi ali… tempo bom. Tudo bom… Rose e Lauri tudo “top” saudade. (Franciele)

Bar e Lanchonete D’Graus. Local em alta na cidade de Toledo entre os anos de 2000 a 2010 aproximadamente. Antes de ser um local de comercial, era ponto de encontro de jovens e adultos de Toledo e região que buscavam um refúgio para ouvir rock de qualidade, aproveitar a companhia de boas amizades (o próprio sentido de amizade era diferente do que é hoje… Antes as pessoas não tinham whats e havia apenas o MSN e o Orkut, mas se falavam mais, se viam mais, e conversavam sobre coisas profundas, sobre coisas da vida.. É isso acontecia muito no D’Graus). (Cris Cândido)

Como resumir 9 anos da minha vida que passei aí dentro? Impossível. (Leandro)

Meu marido e eu trabalhamos lá. Bons tempos.(Hellen)

Melhor lugar ever!!! Lauri era muito querido. Virar a noite lá era tranquilo. Música boa, bebida barata e gelada. Muitos amigos e conhecidos. (Paola)

Era o ponto de encontro da galera “doida” e roqueira da região. Você podia ir pra qualquer lugar, mas no final sempre acabava no Lauri. (Rosilei)

Bons tempos de rock …cantei umas especiais por lá com o Denis…se não me engano o Alex tocava lá também…(Sara)

Eu passo na frente e vejo que realizei um sonho como pintor. Pintar o “boteco” que eu frequentava. (Cristiano)

Abrimos uma conta lá contando moedas e fingindo que estávamos fazendo um trabalho da escola… uma pesquisa que tinha que entrevistar ele com um gravador. Depois disso…altos fiados…e rock’ll. Salve d’graus… Salve Lauri (Attiliana)

Reza a lenda o Lauri tinha mal de parkinson e uma caneta de duas pontas nos fiados que ele fazia em folhas de guardanapos (Attiliana)

Fui o primeiro garçon deste bar…Lauri, a Rose, Rodrigo, Giovani e eu… (Marcílio)

 

Guardanapos épicos, sempre dava errado. (…) batata frita extraordinária, dog prensadão lendário e a melhor playlist do sul do mundo. (Marcelo)

Lembro que quando ele queria fechar.. isso la por 6 e pouco da manhã, ele colocava “Sangue Latino” (Secos e Molhados) pra rolar.. nós já sabíamos que era hora de vazar. (Lenadro)

Eu que levei a primeira fita uma TDK gravada na loja do Jibóia na 7 de setembro…coletânea da Janis Joplin … (Marcílio)

Lembro de uma apresentação de flauta transversal acompanhando pink floyd. Uma noite(…) já teve bicicletas em cima das árvores pra galera não ir embora. Até pole dance sem pole já teve nesse bar. (Ulisses)

Conheci muitos amigos na madrugada. um lugar inesquecível. (…) Um lugar para descontrair, e um bom Rock. (Alejandro)

Shows com bandas da cidade. (Kleber)

Uma vez (…) fui entrar pra ir no banheiro tropecei no degrau de entrada e fui parar de boca no balcão. (Marciano)

A gente levava o cd e o Lauri colocava… (Luis)

Era show de bola. Frequentei muito quando garoto. Um ótimo lugar… é triste ver abandonado. (Claudeir)

Nossa… muito rock, ambiente divertido… levávamos os cds para ele colocar. Um dos melhores bares de Toledo que já frequentei. (Fábio)

Nossa, fui pouco aí, era legal! !! Galera ficava ali “de boa” monitorando o movimento! ! (Patrícia)

Eu toquei muito Rock ao vivo no degraus. Saudade dele. É uma pena estar no estado que se encontra hoje. (Sílvio)

Eu lembro… Gaziava aulas no Dario para ir aí… (Leandro)

Fui pedida em namoro lá, há muitos anos atrás. (Fran)

Saudade da maionese caseira no tubo. (Daia)

O melhor “point” dos anos 90. (Sinara)

Melhor barzinho de rock que Toledo já teve. (Fernando)

Saia do Dario Velloso na sexta feira. Matava as duas últimas aulas e ia pra lá tomar taça de sorvete com fio de ovos. (Mayara)

Foi o melhor lugar de Toledo. Melhor som. (Paulo)

Uncategorized

UNIOESTE – TOLEDO

O processo de criação da primeira instituição de Ensino Superior teve o envolvimento de toda comunidade como representantes políticos, sociedade civil organizada, militares, lideranças políticas e eclesiásticas.

Segundo os documentos da época, a primeira ação mais efetiva aconteceu no dia 27 de dezembro de 1979, com a assembleia geral de constituição da Faculdade de Filosofia de Toledo

A implantação seria por um convênio entre a Prefeitura e a Campanha Nacional de Escolas da Comunidade (CNEC). A proposta inicial seria a criação de três faculdades: Filosofia, Economia e Direito.

 

 

A Unioeste Campus Toledo me propiciou, além de uma experiência de graduação humana e de qualidade, amigos queridos que carrego por onde for e oportunidades de expressar minha arte no decorrer do meu curso. (Memórias de Sara Holtz)

 

Em 22 de janeiro de 1980 era oficializada a Fundação Municipal do Ensino Superior de Toledo (FUMEST), mantenedora da Faculdade de Ciências Humanas Arnaldo Busato (Facitol), como ficou titulada a faculdade municipal.

Uma grande conquista da comunidade toledana. Universidade em que frequentei turmas de 2 cursos: Ciências Econômicas e Ciências Sociais. (Memórias de Rodrigo Priesnitz)

Os primeiros cursos criados foram Filosofia e Ciências Econômicas. No vestibular de setembro de 1980, foram ofertadas 75 vagas para o primeiro curso e 65 para o outro

A participação das igrejas Católica e Evangélica de Confissão Luterana foi fundamental pela necessidade de ter um corpo de professores altamente habilitado”, lembra o ex-secretário geral da Facitol, Flávio Vendelino Scherer.

 

 

Espaço acadêmico do qual faço parte, espaço este que possibilita as pessoas periféricas ingresso na Universidade e realização de uma graduação. (Memórias de Alex Oliveira)

“Embora tivéssemos aprovação da maior parte da comunidade, o único curso de economia da região e o curso de filosofia mais conceituado do Paraná, havia uma parcela da sociedade que tinha uma cobrança e crítica política. No dia da autorização da Facitol fizemos uma comemoração na Praça da Cultura e jogaram tomates e ovos na gente, dizendo que seria uma “escolinha Walita”, sem qualidade. Isso nos motivou e desafiou ainda mais”, recorda Scherer.

Sem dúvida a Unioeste Campus Toledo faz uma parte muito importante da minha história. Além de fazer a graduação de alta qualidade em filosofia, participei da luta estudantil para melhores condições de trabalho e estudo para a comunidade desse Campus, do fervo cultural que rolava nas instalações da universidade no início dos anos 2000, da representação estudantil junto a docentes, técnicos e autoridades…e, mais importante, fiz amigos para a vida!!!!!!! (Sara)

 

 

O conjunto de salas de aula da sede foi construído em apenas 60 dia, ao custo de 10 milhões de cruzados e possuía 853 metros quadrados.

Dos 10 milhões, cerca de três foram arrecadados junto à comunidade e empresas e a complementação pela Prefeitura

Mais tarde, houve o movimento de união das faculdades municipais da região Oeste e em 1986 foi criada a Unioeste como Fundação Federação Estadual, no ano seguinte o Governo do Estado a transformou em Fundação Universidade Estadual do Oeste do Paraná e finalmente em 23 de dezembro de 1994 a Unioeste é então reconhecida como uma universidade, a primeira multicampi do Paraná.

 

 

“Com a faculdade consolidada e perspectivas de crescimento, surgiu a necessidade de unir-se com as demais faculdades da região: Cascavel, Foz do Iguaçu e Marechal Cândido Rondon. A ideia inicial era de federalizá-las

Em 1986, foi criada a Fundação Federação Estadual de Instituições de Ensino Superior do Oeste do Paraná. Posteriormente o governo do Estado assumiu, passando então para Fundação Universidade Estadual do Oeste do Paraná.

 

 

Fontes: http://paranamais.com.br/post/173/Da+Facitol+a+Unioeste%2C+uma+historia+de+persistencia+e+uniao