Uncategorized

Willy Barth

Busto de Willy Barth

Nasceu em 20 de junho de 1906 no distrito de Rio Pardinho, município de Santa Cruz do Sul (RS).

Largou os estudos em 1925, quando saiu da casa dos pais e passou a trabalhar como caixeiro viajante na empresa Bier & Ulmann Ltda.

Em 1940 fundou a Colonizadora “Barth, Benetti e Cia Ltda”, na companhia de outros cinco sócios, em Caxias do Sul.

 

Em 1945 comprou uma porção de terras da Fazenda Britânia (atual região de Toledo) de propriedade da Companhia de Madeiras Del Alto Paraná.

 

Tornou-se o Diretor Gerente da Maripá em 1949, quando mudou-se para o recém-formado povoado de Toledo, ainda município de Foz do Iguaçú.

Casou-se em 1941 com Diva Rodrigues Paim, com quem teve quatro filhas.

s02
Residência da Família Willy Barth – 1950

Foi eleito prefeito de Toledo em 1960. Durante os quinze meses no qual esteve a frente da prefeitura, iniciou obras como as das estradas Toledo-Tupãssi (hoje município de Assis Chateaubriand), Toledo-Pato Bragado e Toledo-Santa-Helena (hoje sendo esta a Rodovia Dr. Ivo Rocha – PR-317).

Moradores de Toledo
Moradores de Toledo, dentre ele Willy Barth, em frente à primeira Prefeitura – 1952

Com o apoio da Câmara, propôs-se a construir as escolas em Vila Industrial, Fazenda Lopeí, Dez de Maio e Vila Operária.

Foi um dos idealizadores e responsáveis pela construção da Usina Hidrelétrica do Rio São Francisco e iniciar a rede de água potável do município.

Usina Carlos Mathias Becker - 1956
Vista da Usina Hidrelétrica de Toledo, em 1956

Durante um comício para o Senado em Guaraniaçú, no dia 3 de abril de 1962, sofreu uma síncope cardíaca, vindo a óbito.

Hoje empresta o nome à Praça central e o Museu Municipal


PESQUISA:

Geissiely Alice dos Santos Nunes

Maisa Santos de Souza

Stefani Sabrina Aragão

Giovani Marcos Bernini

 

Sem categoria

MEMORIAL DO PIONEIRO COLONIZADOR

DSCF1381

O Memorial do Pioneiro Colonizador foi inaugurado em 2012, e é uma homenagem aos primeiros habitantes da cidade, quando ainda pertencia ao Município de Foz do Iguaçu.

Os totens localizados no Largo São Vicente de Paulo, registram os nomes dos que chegaram, nasceram ou se fixaram em Toledo entre os anos de 1946 a 1952.

São 24 placas com aproximadamente 2.800 nomes.

A pesquisa dos nomes foi feita por uma comissão que analisou documentos existentes no Museu Willy Barth, de Toledo.

Imigrantes
Durante a viagem. Pausa para o almoço.

Os primeiros colonizadores (pioneiros) chegaram à cidade em 1946, após 38 dias de viagem desde a região de São Marcos – RS

Colonizada pela Colonizadora Madeireira Paraná (MARIPÁ), os primeiros lotes urbanos e rurais foram postos à venda em 1951.

Os lotes tinham em média 25 hectares, evitando a criação de latifúndios durante a colonização.

Toledo - 1947
Toledo – 1947

Os lotes, em faixas alongadas, foram todos planejados com a frente para a estrada e os fundos para a água.

O projeto da Maripá pretendia povoar a área com agricultores adaptáveis ao clima da região.

Os primeiros imigrantes foram, em sua grande maioria, provenientes do Rio Grande do Sul, de origem italiana ou alemã.

p10

Vários outros imigrantes eram de origem paraguaia, remanescentes das obrages. Foram muito importantes no auxílio às obras de infraestrutura inicial da cidade.

Trabalhadores paraguaios - 1950
Trabalhadores paraguaios – 1950

Segundo o Plano de Colonização da MARIPÁ (1946) os imigrantes deveriam ser habituados com a criação de suínos, fabricação de manteiga e de queijo, cultivo de milho, batatas, trigo, fumo, arroz.

A reprodução da “vida colonial” figurava como elemento central na representação dos migrantes. Se na vila era importante que houvesse a igreja/paróquia, a escola, o mercado, o correio, o banco (etc.), na propriedade rural era indispensável o arado, a enxada, a foice, o facão, o machado

Apesar das dificuldades, a receptividade em Toledo era festiva, devido ao clima de familiaridade estabelecido entre os imigrantes.

Festejos
Festejos de final de ano – 1950

 

Motoristas da Colonizadora MARIPÁ - 1950
Motoristas da Colonizadora MARIPÁ – 1950

 


PESQUISA:

Eduardo Lima R

Kauã Samuel

Rafaela Schirmann

Giovani Marcos Bernini