Uncategorized

Willy Barth

Busto de Willy Barth

Nasceu em 20 de junho de 1906 no distrito de Rio Pardinho, município de Santa Cruz do Sul (RS).

Largou os estudos em 1925, quando saiu da casa dos pais e passou a trabalhar como caixeiro viajante na empresa Bier & Ulmann Ltda.

Em 1940 fundou a Colonizadora “Barth, Benetti e Cia Ltda”, na companhia de outros cinco sócios, em Caxias do Sul.

 

Em 1945 comprou uma porção de terras da Fazenda Britânia (atual região de Toledo) de propriedade da Companhia de Madeiras Del Alto Paraná.

 

Tornou-se o Diretor Gerente da Maripá em 1949, quando mudou-se para o recém-formado povoado de Toledo, ainda município de Foz do Iguaçú.

Casou-se em 1941 com Diva Rodrigues Paim, com quem teve quatro filhas.

s02
Residência da Família Willy Barth – 1950

Foi eleito prefeito de Toledo em 1960. Durante os quinze meses no qual esteve a frente da prefeitura, iniciou obras como as das estradas Toledo-Tupãssi (hoje município de Assis Chateaubriand), Toledo-Pato Bragado e Toledo-Santa-Helena (hoje sendo esta a Rodovia Dr. Ivo Rocha – PR-317).

Moradores de Toledo
Moradores de Toledo, dentre ele Willy Barth, em frente à primeira Prefeitura – 1952

Com o apoio da Câmara, propôs-se a construir as escolas em Vila Industrial, Fazenda Lopeí, Dez de Maio e Vila Operária.

Foi um dos idealizadores e responsáveis pela construção da Usina Hidrelétrica do Rio São Francisco e iniciar a rede de água potável do município.

Usina Carlos Mathias Becker - 1956
Vista da Usina Hidrelétrica de Toledo, em 1956

Durante um comício para o Senado em Guaraniaçú, no dia 3 de abril de 1962, sofreu uma síncope cardíaca, vindo a óbito.

Hoje empresta o nome à Praça central e o Museu Municipal


PESQUISA:

Geissiely Alice dos Santos Nunes

Maisa Santos de Souza

Stefani Sabrina Aragão

Giovani Marcos Bernini

 

Sem categoria

PRAÇA WILLY BARTH

DSCF1384

O espaço foi projetado ainda em 1947, quando houve a definição da área urbana da Vila Toledo. O traçado inicial das ruas já reservava o espaço da praça.

O nome original da praça era Barão do Rio Branco, sendo renomeada em 1962 para homenagear  o pioneiro Willy Barth, após seu falecimento.

Foi sempre o palco de importantes eventos e festividades cívicas e religiosas da cidade.

 

Foi nela que Toledo recebeu uma de suas primeiras atrações de entretenimento, o Circo Ginoca.

À noite a aos finais de semana o local era ponto de encontro jovens, principalmente após a celebração das missas e sessões de filmes no Cine Imperial e Teatro Guarani.

A praça passou por uma grande remodelação em 2007, quando foram instalados diversos monumentos históricos, como o “BUSTO DE WILLY BARTH”, “MONUMENTO AOS RUARO” e inúmeros totens com fotografias e informações históricas.

Praça Willy Barth - 1968
Vista da Praça Willy Barth, em 1968. Ao fundo a Catedral Cristo Rei

Busto de Willy Barth
BUSTO DE WILLY BARTH – Clique para informações

Monumento aos Ruaro
MONUMENTO AOS RUARO  – Clique para saber mais

 

Foi o ponto dos acontecimentos políticos, civis e religiosos. Desfiles cívicos, carnaval, local de encontro, ponto de lanche, local que marcou a época de juventude da nossa geração. (Bassani)

Recém chegado a Toledo achei na praça um lugar aconchegante que faz parte da história de Toledo. Até hoje transmite paz e tranquilidade em pleno centro da cidade! (Marcos)

 

Centro histórico de Toledo, local onde ficava situada a imobiliária de minha família e onde aconteceram eventos culturais de grande importância em minha infância e juventude. Também havia alguns estabelecimentos comerciais que frequentava muito, como o kiosque do Sukinho, da família Barros, o Salão Brasil, o Sindicato Rural, a biblioteca Municipal, a galeria Maurício, o Cachorrão, do Jânio e o Bar e Lanchonete Capri, da dona Elma Friedrich. (Rodrigo Prieznitz)

 

A praça sempre foi palco da luta de Movimentos Sociais e trabalhistas. Consagrou-se como o principal ponto de encontro de movimentos de professores, funcionários públicos, bancários e movimento estudantil.

 

Ela continua sendo o local de grandes festividades e encontros familiares, em especial nas comemorações de final de ano, onde sedia a “casa do Papai Noel”.


PESQUISA:

Geissiely Alice dos Santos Nunes

Maisa Santos de Souza

Stefani Sabrina Aragão

Giovani Marcos Bernini